Quem somos 

A Gestão Integrada Cuniã-Jacundá (GICJ) é a proposta de gestão de três Unidades de Conservação Federais, localizadas no estado de Rondônia. São elas: Estação Ecológica de Cuniã (ESEC Cuniã), Floresta Nacional de Jacundá (FLONA Jacundá) e Reserva Extrativista do Lago do Cuniã(RESEX Cuniã)(Leia mais sobre essas UC's abaixo). Essas unidades de conservação são geridas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade(ICMBio), autarquia vinculada ao Ministério do Meio Ambiente.
 
A GICJ surgiu no ano de 2005 por meio da iniciativa dos gestores locais, com o objetivo inicial de viabilizar o desenvolvimento de atividades comuns às três UC’s. Entretanto, com o desenvolvimento do trabalho em conjunto, constatou-se que a gestão integrada não só viabilizava a união dos recursos humanos e financeiros, como também evitava ações institucionais repetitivas, favorecia a consolidação e efetividade das UC’s envolvidas e melhorava a interface dessas com as comunidades locais e instituições que atuam na região.
 
A área das unidades que compõem a GICJ é de relevante importância ecológica, pois é um ambiente rico em lagos e várzeas formadas pelo rio Madeira e seus afluentes, além de ser uma região que funciona como berçários de espécies da avifauna e ictiofauna, e por promover a proteção de uma parcela significativa do bioma amazônico e de manchas de transição com o cerrado e campos naturais, somando a área total de 408 mil hectares. 
 
A importância social dessas UC’s encontra-se especialmente pela proteção da cultura e modo de vida ribeirinha e pela busca da construção de um modelo de ocupação sustentável e planejado para o manejo dos recursos naturais. 
 
Visão de Futuro
 
Ser referência de um mosaico de unidades de conservação consolidado e um modelo de gestão pública que, a partir da excelência de sua equipe, seja capaz de garantir a proteção da biodiversidade, a geração de conhecimento e a promoção do uso sustentável dos recursos naturais, aliado ao compromisso e responsabilidade das comunidades envolvidas.
 
Reserva Extrativista do Lago do Cuniã
 
A Reserva Extrativista é um tipo de unidade de conservação de uso sustentável, que possui populações extrativistas tradicionais vivendo em seu interior. Tem como objetivos básicos proteger os meios de vida e a cultura dessas populações e assegurar o uso sustentável dos recursos naturais. A Resex Cuniã, criada pelo decreto federal n° 3238 de 10 de novembro de 1999, localiza-se no município de Porto Velho, em Rondônia, a uma distância aproximada de 130 km do centro urbano, com acesso através do Igarapé Cuniã, afluente do rio Madeira. Sua área total é de 55.850,00 hectares, a qual é formada por exuberantes paisagens lacustres e fluviais, abrigando diversas espécies da avifauna, fauna aquática e flora. O acesso à unidade de conservação é realizado exclusivamente por via fluvial, através do rio Madeira e igarapé Cuniã. A população residente é composta por cerca de 110 famílias distribuídas nos núcleos Neves, Araçá, Pupunhas e Silva Lopes Araújo, a qual é descendente dos índios mouras e de imigrantes nordestinos dos antigos seringais. Sua principal fonte de recursos é a pesca e a produção de farinha de mandioca complementada pela coleta de alguns dos produtos ofertados pela floresta, como a catanha-do-brasil, o açaí, o cupuaçu e o piquiá.
 
Floresta Nacional de Jacundá
 
A Floresta Nacional é um tipo de unidade de conservação de uso sustentável, que tem como objetivo compatibilizar a conservação da natureza com o uso múltiplo e sustentável de parcela dos seus recursos naturais e a pesquisa científica. O uso dos seus recursos deve ser em conformidade com o Plano de Manejo da unidade, garantindo assim a proteção dos recursos hídricos, dos solos e das belezas cênicas, além do aproveitamento sustentável da biodiversidade. A Flona Jacundá, criada pelo decreto de 1° de dezembro de 2004, está localizada à margem direita do Rio Madeira, abrangendo parte das Glebas Jacundá e Rio Preto nos municípios de Porto Velho e Candeias do Jamari. A sua área total é de 226.644,52 hectares. O único acesso por terra é pela BR-364 até a hidrelétrica de Samuel e depois pela Linha 45 que passa pela área proposta pelo INCRA para criação do PDS Jequitibá. O acesso se dá também pelo rio Madeira, rio Preto e rio Jacundá.
 
Contato:
Denis Helena Rivas
Geógrafo - Analista Ambiental
Gestão Integrada Cuniã Jacundá
ESEC Cuniã - Porto Velho RO

Gestão Integrada Cuniã