O PNPD (Programa Nacional de Pós Doutorado) é um programa da CAPES que tem como objetivo, dentre outros, o fomento às atividades de pesquisa científica, tecnológica e de inovação, mediante a seleção de propostas que visem à absorção temporária de jovens doutores, com relativa experiência em P&D&I e capacitação para atuar em projetos de pesquisa e desenvolvimento em áreas estratégicas e ao reforço à pós-graduação e aos grupos de pesquisa nacionais.
Em 2009 foram submetidos dois projetos, um pela Pós Graduação em Ecologia e outro pela Entomologia, ambos do INPA.
 
 
PNPD Ecologia
 
A presente proposta se insere na interface entre o Centro de Estudos Integrados da Biodiversidade Amazônica – CENBAM (INCT/CNPq) e o Programa de Pós-Graduação em Ecologia – PG-ECO, ambos do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia – INPA. O projeto se apóia na contribuição de jovens doutores com produção científica de alta qualidade a linhas de pesquisa de importância estratégica e baixa massa crítica no grupo de pesquisa associado ao CENBAM e no corpo docente do PG-ECO. O objetivo geral é o de entender os fatores que influenciam grupos de organismos de alta diversidade, pouco conhecidos na Amazônia, representativos de um amplo espectro taxonômico e com diversidade potencial que permita avaliar padrões de distribuição espacial e relações ecológicas em escala regional. As amostragens serão realizadas em sítios de amostragem padronizada do Programa de Pesquisa em Biodiversidade – PPBio, distribuídos em toda a Amazônia brasileira. Os resultados produzirão subsídios para entender os padrões de distribuição da biodiversidade amazônica e suas implicações biogeográficas e determinantes atuais. A infraestrutura de amostragem do PPBio, que também compõe a base para aquisição de dados do CENBAM, foi planejada para permitir a análise integrada de dados entre grupos e entre sítios. As amostragens também permitirão o aprimoramento de protocolos de amostragem para cada grupo de organismos estudados, que sejam adaptáveis para diferentes tipos de ambiente e objetivo de pesquisa (avaliações ecológicas rápidas, monitoramento a longo prazo, estudos biogeográficos, resposta dos organismos a impactos ambientais, etc.). O CENBAM trabalha sobre a noção de desenvolvimento de cadeias de produção de conhecimento na Amazônia, com um forte componente de integração regional, por meio da colaboração entre o INPA e núcleos regionais no Amazonas, Roraima, Acre, Rondônia, Mato Grosso e Amapá, envolvendo ações de inventário, pesquisa e o fortalecimento de cinco programas de pós-graduação nos núcleos regionais e de capacitação de comunitários em funções técnicas de apoio à pesquisa. O CENBAM também trabalha em conjunto com técnicos de agências ambientais na elaboração de diretrizes para a avaliação e monitoramento da biodiversidade e identificação de áreas prioritárias para conservação. Os bolsistas do projeto participarão de todas estas ações, além de fortalecer e dinamizar o PG-ECO e outros programas de pós-graduação no INPA. A perspectiva de contar com esses profissionais durante cinco anos é um aspecto muito positivo da proposta, pois permite o engajamento dos bolsistas no CENBAM e a consolidação de seu impacto no PG-ECO. Baixe aqui a proposta.
 
Responsável: William Magnusson 
Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
 
Bolsistas: 
 
José Julio de Toledo 
Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
 
Paulo Estefano Dineli Bobrowiec 
Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
 
 
PNPD Entomologia
 
Visando colocar o conhecimento da biodiversidade numa perspectiva mais realista, planejamos aproveitar o material que vem sendo coletado por grandes projetos implantados na Amazônia, para a formação e fixação de especialistas em taxonomia e ecologia junto ao Programa de Pós-Graduação em Entomologia (PG-ENT), do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA). O esforço será concentrado em formigas e aracnídeos ou miriápodes, grupos mega-diversos pouco conhecidos, excelentes indicadores biológicos, mas sem especialistas permanentes contratados pelo INPA. Os profissionais existentes no INPA são poucos e sobrecarregados e é completamente inviável tentar basear a maior parte dos evantamentos de biodiversidade nesses indivíduos. Com a aquisição de jovens doutores especialistas nestes grupos, o PG-ENT terá um reforço em seu corpo docente para ministrarem disciplinas e orientarem dissertações e teses. Estes especialistas irão também treinar parataxonomos (técnicos)e gerar guias ilustrados para que o conhecimento destes grupos seja disseminado para outras instituições e regiões, principalmente de outros estados amazônicos. Os cinco anos que contaremos com a colaboração destes profissionais propiciarão um tempo considerável para estes tipos de interações e a possibilidade de fixar estes profissionais em Manaus ou em outras regiões. Muitas espécies serão selecionadas dentro do universo coletado nestes projetos para descrição de novas espécies e responder a importantes questões sobre sistemática e filogenia. Os resultados produzirão novos arranjos taxonômicos e sistemáticos para os artrópodes alvos, gerando também subsídios para estudos ecológicos. Por causa das amostragens padronizadas e do robusto delineamento amostral utilizadas pelos grandes projetos, será possível também estudar os padrões de riqueza e espacial de artrópodes e associar esses dados a alguns gradientes ambientais e fatores estruturais da paisagem, já disponíveis nos projetos. Testes biogeográficos poderão ser feitos, pois os projetos são realizados em grande escala espacial. Estudos populacionais e genéticos, além das análises de relações filogenéticas, poderão ser integrados e comparados a estudos de comunidades. Novos protocolos de coletas da biodiversidade em meso e larga escala espaciais poderão ser testados e recomendados, de modo a que sejam simples e fáceis de coletar e que fornecam informaçõs ecológicas necessárias para a preservação de áreas e para contribuir com políticas públicas, com aplicabilidade em EIA/RIMA e demais avaliações de impactos ambientais. Baixe aqui a proposta.
 
Responsável: Elizabeth Franklin 
Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
 
Bolsistas: 
 
Ana Lúcia Tourinho 
Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
 
Jorge Luiz P. de Souza 
Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia

PNPD