Infra-estrutura de acesso (trilhas, parcelas) e acomodação para pesquisadores estão entre os itens mais custosos para qualquer sistema de levantamento. Estudos independentes por pesquisadores especializados em cada táxon resulta em uma desnecessária duplicação de esforços (Lawson et al. 20057). Isso resulta em custos totais de ordens de magnitude maior do que pode ser alcançado por levantamentos integrados das mesmas taxa. Falta de planejamento é também um problema para profissionais envolvidos com o manejo de parques e reservas porque eles não podem controlar, ou monitorar, os impactos causados por pesquisadores se eles não sabem de antemão onde o esforço de coleta será aplicado. Além da economia de recursos financeiros, um sistema integrado permanente para a maioria dos levantamentos permite que esses profissionais controlem o acesso e monitorem áreas potencialmente sensíveis.

Dados para grupos de organismos diferentes e dados ambientais não podem ser integrados se coletados em escalas diferentes (mais informações em padronização). Levantamentos integrados permitem também análises eficientes de dados coletados na mesma escala. A tabela seguinte contém dados típicos de coletas realizadas em levantamentos não coordenados:

Parcela Densidade de Espécies Estrutura da Vegetação Solo Altitude
A 4.3 55    
B 5.9      
C 6.7   78  
D 3.8 34   36
E 6.4      

 

O pesquisador coletou dados de densidade de seu organismo favorito em todas as parcelas que eram de interesse ao seu estudo em particular. Outros pesquisadores coletaram dados no mesmo sítio para estrutura da vegetação, granulometria do solo e altitude, mas os pontos de coleta coincidiram apenas em alguns casos. Análises integradas não são possíveis porque o computador normalmente eliminará parcelas que não contêm dados para todas as variáveis. É possível solicitar que o pacote estatístico ou um Sistema de Informação Geográfica (GIS) “invente” dados por extrapolação/interpolação de outras localidades levantadas, mas poucos pesquisadores fazem isso devido à questionável validade das análises subseqüentes. De qualquer forma, os graus de liberdade para análises estatísticas não devem ser maiores do que o número real de sítios investigados. A tabela seguinte contém dados estruturados que permitem uma ampla variedade de análises, e o uso dos dados por uma ampla variedade de usuários:

    Parcela Densidade de Espécies Estrutura da Vegetação Solo Altitude
A 4.3 55 28 23
B 5.9 87 44 113
C 6.7 65 78 57
D 3.8 34 59 36
E 6.4 66 41 98    

 

Esse tipo de dados pode ser coletado a custo bem mais baixo, e são úteis para a maioria dos usuários. Por esse motivo, levantamentos do PPBio são baseados em módulos padronizados, cada um podendo ser usado para uma ampla variedade de organismos.

 
 

 

Levantamentos Integrados