Apesar da sua importância para o funcionamento dos ecossistemas florestais e da aplicação em produtos voltados para a sociedade, os fungos permanecem pouco estudados na Amazônia. Embora muitos problemas dificultem o avanço dos estudos de fungos, o principal obstáculo é a escassez de pessoas qualificadas para atuar em pesquisas científicas, principalmente em taxonomia e sistemática, ciências que são responsáveis em dar nomes às espécies e em entender as relações evolutivas entre elas. Dessa forma, o treinamento de pessoal na coleta, processamento e descrição de espécies de fungos representa uma grande prioridade para ampliar o conhecimento desse grupo na região.

A Reserva Ducke, localizada ao norte de Manaus, é uma das áreas do Estado do Amazonas mais bem conhecidas pelos cientistas, onde muitos grupos já foram intensivamente estudados e, conseqüentemente, existem dados satisfatórios sobre sua diversidade. Entretanto, existem poucas informações disponíveis sobre os fungos, e estudar sua diversidade é bastante importante. Dessa forma, a pesquisadora Maria Aparecida de Jesus, da Coordenação de Pesquisas em Produtos Florestais, e o bolsista Ricardo Braga-Neto, da Coordenação de Pesquisas em Ecologia, ambas do INPA (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia), realizaram uma excursão para estudar fungos macroscópicos (cogumelos e orelhas-de-pau) na reserva entre os dias 23 e 30 de janeiro de 2008. Essas atividades fazem parte do Programa de Pesquisa em Biodiversidade (PPBio), uma ação do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), que visa intensificar pesquisas sobre biodiversidade na Amazônia.

Fungos encontrados na Reserva Ducke, cujos corpos de frutificação foram encontrados crescendo sobre madeira, o solo e um inseto (imagens R. Braga-Neto).

A proposta é conciliar a realização de coletas de fungos macroscópicos com o treinamento dos alunos. Os estudantes participaram de diversas atividades visando o aprimoramento do conhecimento dos fungos, incluindo a coleta, preservação e descrição de características biológicas. Com isso espera-se aumentar o conhecimento das espécies da região, além de incrementar a Coleção de Fungos do Herbário do INPA.

Participaram da excursão seis jovens estudantes: Karina de Oliveira Milhomem e Dônata Luygui Salvador Aching (ambas bolsistas de PIBIC/INPA), Taynna Hanna Mota de Souza (bolsista PIBIC-Jr/FAPEAM), Meire Cristina Nogueira de Andrade (bolsista de DCR/FAPEAM) e Tiago Pereira Cirino (bolsista PIBIC/FAPEAM). Também participou da excursão Rodrigo Zucaratto, um estudante de biologia do Espírito Santo que vai desenvolver seu projeto de conclusão de curso em Ciências Biológicas na Reserva Biológica Augusto Ruschi.

A pesquisadora Maria Aparecida de Jesus mostrou-se bastante satisfeita com a excursão realizada e destaca que foram coletados aproximadamente 400 exemplares de fungos, sendo que algumas espécies têm potencial biotecnológico, comestível e medicinal.

Os trabalhos contaram com o apoio técnico de Everaldo da Costa Pereira e equipe do PPBio.

Receba o Informativo PPBio.

Pesquisadores do INPA realizam treinamento e coleta de fungos na Reserva Ducke