Hide shortcuts

A influência da lua na atividade dos morcegos é tema do artigo publicado em parceria com PPBio CENBAM

A lua tem grande influência no comportamento de diversos seres na terra, animais noturnos são menos ativos em noites de lua cheia devido ao maior risco de serem predados, isto é conhecido como “Fobia lunar”. O estudo de mestrado da aluna Giulliana Appel do Programa de Pós-Graduação em Ecologia do INPA, em parceria com pesquisadores do PPBio/CENBAM, avaliou a influência da luminosidade lunar na atividade de morcegos insetívoros aéreos. A pesquisa foi realizada na Reserva Adolpho Ducke (Manaus- AM), onde foram instalados gravadores de ultrassom para identificar e avaliar a atividade dos morcegos com o ultrassom emitido por eles.

Os pesquisadores observaram que a fobia lunar não deve ser generalizada para todas as espécies de morcegos e a resposta dos morcegos em relação a luminosidade lunar depende da escala temporal utilizada. Os morcegos insetívoros aéreos, ao mesmo tempo que possuem risco de serem predados também predam insetos durante a noite. Em noites claras há uma tendência dos morcegos terem dois picos de atividade, um no início da noite e outro no final (antes do pôr-do-sol) (Figura 1). Diferente das noites escuras, que a atividade dos morcegos possuem apenas um pico de atividade no início da noite. Essa alteração nos picos de atividade, provavelmente segue os picos de atividade dos insetos noturnos. Diferente do que esperava pela fobia lunar, duas espécies (Saccopteryx bilineata e Pteronotus parnellii – Figura 2) de morcegos são mais ativas em noites claras provavelmente por serem espécies com vôo rápido diminuindo o risco de serem predadas, e por ter maior oferta de alimento nestas noites.

Sendo assim, a resposta dos morcegos insetívoros à luminosidade lunar depende de características da espécie como flexibilidade no uso do habitat, velocidade do vôo e dieta alimentar. A influência da luminosidade lunar sobre a atividade dos morcegos foi mais evidente entre noites do que ao longo de uma noite.
 

Figura 1. Atividade horária das cinco espécies de morcegos insetívoros analisadas, nota-se que para maioria das espécies nas noites escuras há apenas um pico de atividade no início da noite e nas noites claras um outro pico de atividade no final da noite.

Figura 2. Pteronotus parnellii, uma das espécies de morcegos insetívoros aéreos que tem comportamento ao contrário do que se esperava da “fobia lunar”, essa espécie é mais ativa em noites claras.

 

O artigo "Aerial insectivorous bat activity in relation to moonlight intensity" sob autoria de Giulliana Appel, López-Baucells, William Ernest Magnusson e Paulo Estefano D. Bobrowiecpode ser acessado aqui

Para maiores informações favor entrar em contato com a primeira autora através do email giuappel@outlook.com