Hide shortcuts

Artigo publicado por pesquisadora do PPBio, na Proceedings of the Royal Society B, esclarece árvore da vida dos Opiliões e padrões biogeográfico ancestrais

Com o estudo publicado pela pesquisadora do PPBIO, Ana Lúcia Tourinho e seus colaboradores no dia 22/01/2017, a  árvore da vida dos opiliões ganhou robustez e estabilidade, com a maioria das famílias precisamente posicionadas e as relações entre as quatro subordens de opiliões bem resolvidas. 

O estudo usou 54 transcriptomas de opiliões representando 40 das 50 famílias recentes desta ordem. O resultados também revelam que alguns opiliões possuem padrões de separação biogeográficos refletindo o padrão geral de regionalização ancestral da Pangeia, enquanto outros seguem fielmente o padrão de sequencia típica de sua fragmentação.

O estudo foi desenvolvido enquanto Ana Lúcia Tourinho realizava seu pós-doutorado em Harvard financiado pelo CNPq via cota do CENBAM. Dos 54 transcriptomas 40 foram gerados exclusivamente para o estudo e são provenientes de material coletado pela pesquisadora e seus coautores. Grande parte das espécies representando as famílias de opiliões Neotropicais foram coletadas na Reserva Ducke e são espécies endêmicas da Amazônia brasileira. As coletas foram realizadas com o apoio financeiro do PPBio e da CAPES, via projeto PVE financiando a pesquisadora e seu supervisor de pós-doc em Harvard.

 

Texto: Ana Lucia Tourinho

 

Link para o artigo aqui

Phareicranaus manauara Roewer, 1913 (macho)