Hide shortcuts

Preface

Oct. 9, 2017

Index

Preface
Thiago Fernandes Martins
 
          In Brazil, hard ticks (Acari: Ixodidae) are important vectors of pathogens for humans, domestic and wild animals, and are therefore considered to be arthropods relevant to public health and animal health. In the previous decade, some studies on ticks in wild animals were carried out in the Brazilian Amazonian biome; however, such studies are scarce and fragmented and tick taxonomy and identification is difficult and as a consequence there is little information about their geographic distribution, hosts and the diseases caused by the pathogens transmitted by these ectoparasites, especially in the Brazilian Amazon region.
 
The Brazilian legal Amazon is mostly located in the north of the country, reaching the states of Amazonas, Amapá, Acre, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins and part of the territory of Goiás, Maranhão and Mato Grosso. The Brazilian Amazonian biome, comprising an area of ​​5,033,072 km², which corresponds to 61% of the national territory. Due to its territorial expansion the region of the Amazon rainforest shelters a great biological diversity including amphibians, reptiles, birds and mammals that are frequently parasitized by ticks. With a population estimated at about 16.5 million people, 62% of whom live in urban areas and 38% in rural areas, deforestation caused by the urban expansion of cities over forests leads to the proximity of humans to ticks, favoring human parasitism and the appearance of diseases carried by these arthropods. Consequently, ixodids are becoming increasingly relevant as a health problem and in the spread of tick-borne diseases to the population in the country, with Brazilian Macular Fever being the main disease.
 
         A Amazônia legal brasileira fica em sua maior parte localizada ao norte do país, atingindo os estados do Amazonas, Amapá, Acre, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e parte do território de Goiás, Maranhão e Mato Grosso. O bioma Amazônico brasileiro, compreendendo uma área de 5.033.072 Km², o que corresponde a 61% do território nacional. Devido a sua expansão territorial a região da floresta Amazônica abriga uma grande diversidade biológica incluindo anfíbios, répteis, aves e mamíferos que são parasitados com frequência por carrapatos. Com uma população estimada em cerca de 16,5 milhões de pessoas das quais, 62% vivem na zona urbana e 38% na zona rural, o desmatamento causado pela expansão urbana das cidades sobre as florestas acabam levando a proximidade dos seres humanos aos carrapatos, favorecendo o parasitismo humano e o aparecimento de doenças veiculadas por estes artrópodes. Consequentemente os ixodídeos estão se tornando cada vez mais relevantes como um problema sanitário e na veiculação de doenças transmitidas por carrapatos para a população no país, sendo a Febre Maculosa Brasileira a principal enfermidade.
 
          A presente obra é uma versão eletrônica do guia taxonômico ilustrado de carrapatos coletados em Fragmentos Florestais do município de Manaus em que se destacam: Reserva Florestal Adolpho Ducke (RFAD), Campus da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Fazenda Experimental da UFAM.
 
          A importância deste manual para a Amazônia é enorme, uma vez que informações significativas sobre carrapatos deste bioma foram obtidas desta Reserva, acompanhadas por imagens ilustrativas para todas as espécies aqui catalogadas, dentro do contexto do Programa de Pesquisa em Biodiversidade (PPBio). Acreditando que o presente manual de identificação com cada uma das espécies encontradas nesta obra, será de valor para as pessoas interessadas no estudo da biologia, ecologia e doenças transmitidas por carrapatos, principalmente para as espécies de ixodídeos estabelecidas dentro dos limites da Amazônia Central Brasileira.